• Home Banner1
Quinta, 09 Maio 2019
O todo é maior que a soma das partes

Por Eugênio Hainzenreder Jr.

O dia do trabalho é um momento oportuno de reflexão sobre os diversos desafios que se apresentam neste período de transformações no mundo do trabalho, mas merece atenção especial pensar sobre o acirramento da dicotomia envolvendo o “empreendedorismo X precarização de direitos” e o “capital X trabalho”. Em tempos cujo diálogo é difícil e muitos são “juízes de internet”, não se deve esquecer que a polarização do discurso não pode esmorecer diante da necessária harmonia que deve permear a relação de trabalho. É claro que quando pensamos em trabalhador e empresa, há, por vezes, conflitos, porém é necessário irmos além do que nos prediz esse contexto dicotômico, pois “o todo é maior que a soma das partes”.

Não se pode esquecer que quando falamos em trabalho estamos a tratar de relações entre seres humanos, na totalidade de sua dignidade. A premissa da palavra “labor” exige que tenhamos a demanda e a oferta, pressupõe empregado e empregador, numa relação saudável de troca: "labor omnia vinciti", que significa que o trabalho vence todas as coisas, o trabalho enobrece o homem.

O dia do trabalho clama, pois, que reflitamos sobre o papel de cada um e o quanto estamos contribuindo para a pacificação das relações sociais. Que saibamos dialogar, privilegiando a interlocução entre a miríade de perspectivas que cada qual possuiu, pois ninguém detém a visão absoluta das coisas.

O trabalho instiga empregador e empregado e são os desafios que nos põem em marcha. Parabéns aos trabalhadores e às empresas, pois ambos são os protagonistas deste dia e a razão pela qual devemos nos esforçar para ressignificar a premissa de que “o todo é maior que a soma das partes” quando tratamos das relações laborais.